A história adotiva

Romilda Mochiuti

Resumo


Propomos neste artigo analisar, tanto do ponto de vista estético quanto do desenvolvimento da trama, o romance ganhador do prêmio Jabuti, A Resistência, como um projeto estético metaficcional crítico, assumidamente autobiográfico.

Para tanto, teremos como pressupostos as teorias sobre o romance e a meta-ficção. Entendemos que é possível caracterizar esse romance como um gênero que se constitui pela representação da imagem do homem e de sua linguagem, entendida esta linguagem como a experiência de um mundo fragmentado e a representação como a ruptura com este mundo, e que ambas – linguagem e representação - carregam em si uma consciência tanto individual quanto coletiva.

Em sendo assim, trabalhamos nesta proposta a possibilidade de interpretar essa experiência como a representação mimética individual do autor como leitor crítico de seu fazer literário e da tradição literária hispânica e da história pessoal e, por extensão, da Argentina e do Brasil, mais especificamente do período que envolveu o período repressor militar.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.