Práticas de Linguagem Sobre o Trabalho Docente: Análise de Discursos de Professores de Espanhol Sobre a Atividade de Ensino

  • Carla Severiano de Carvalho Universidade do Estado da Bahia Instituto Federal da Bahia (campus Santo Amaro)

Resumo

Resumo: O estudo aborda as práticas de linguagem sobre o Trabalho e tem como delimitação a análise de discursos de professores de Espanhol da Rede Municipal de Ensino da cidade de Salvador, capital da Bahia.  Desse modo, objetiva compreender os discursos da prescrição e da atividade docente, a partir das cenas enunciativas das quais se formam o ethos discursivo na atividade, em situação de trabalho desses profissionais da Educação. A proposta interdisciplinar apoia-se nos pressupostos teóricos dos campos da Linguística do discurso (MAINGUENEAU, 1997, 2001, 2008a, 2008b, 2010), além da Ergonomia e da Ergologia (SCHWARTZ, 2002, 2010a, 2010b; TRINQUET, 2010; WISNER, 1994). 

 

Palavras-chave: Linguagem; Trabalho; Professores de Espanhol.

Biografia do Autor

Carla Severiano de Carvalho, Universidade do Estado da Bahia Instituto Federal da Bahia (campus Santo Amaro)
Atualmente realiza curso de Doutorado Interinstitucional entre o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade de São Paulo (PPGCOM-USP) e a Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Mestra pelo Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagens (Universidade do Estado da Bahia - 2013). Especialista em Língua Espanhola (Universidade Federal da Bahia - 2011). Licenciada em Letras - Língua Espanhola e Literaturas de Língua Espanhola (Universidade do Estado da Bahia - 2009). É professora do quadro efetivo do Departamento de Ciências Humanas da Universidade do Estado da Bahia (UNEB - Campus I: Salvador) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBa - Campus Santo Amaro). Dedica-se ao ensino de língua espanhola como língua estrangeira para brasileiros e à formação de professores de língua espanhola. Desenvolve pesquisas na área de estudos dos discursos (políticos e jornalísticos, sobretudo) em língua portuguesa e em língua espanhola. É membro da Associação de Professores de Espanhol do Estado da Bahia (desde 2009) e da Associação Brasileira de Hispanistas (desde 2010). Participou como avaliadora do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) 2018 - Língua Espanhola/Ensino Médio.

Referências

DI FANTI. Maria da Glória Corrêa. Linguagem e trabalho: diálogos entre estudos discursivos e ergológicos. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 49, n. 3, p. 253-258, jul.-set. 2014. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/viewFile/19111/12164 Acesso em 12 abr. 2017

DURAFFOURG, Jacques; DURRIVE, Louis. O trabalho e o ponto de vista da atividade. In: SCHWARTZ, YVES; DURRIVE, LOUIS. (orgs.). Trabalho & Ergologia. Conversas sobre a atividade de trabalho. Niterói: EDUFF, 2010, p. 47-82.

FREITAS, Ernani Cesar. A semiolinguística no discurso: práticas de linguagem em situações de trabalho. Desenredo, Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo, v. 4, n. 2, p. 262-283, jul./dez. 2008.

______. Linguagem na atividade de trabalho: éthos discursivo em editoriais de jornal interno de empresa. Desenredo, Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo,R S, v. 6, n.2, p. 170-197, jul./dez. 2010.

______. Práticas de linguagem na atividade de trabalho: cenografia e ethos em discursos socioprofissionais. Revista Latinoamericana de Estudios Del Discurso, Colombia, v. 11, n. 2, p. 49-68, 2011.

______. As práticas de linguagem no e sobre o trabalho: discursos da prescrição na atividade docente. Anais do XVII Congreso Internacional Asociación de Lingüística Y Filología de América Latina (ALFAL 2014), João Pessoa, PB: Ideia, 2014. Disponível em: < http://mundoalfal.org/CDAnaisXVII/trabalhos/R0211-1.pdf> Acesso em: 6 abr. 2017.

MAINGUENEAU, Dominique. Novas tendências em análise do discurso. Tradução Freda Indursky. 3. ed. Campinas: Pontes, 1997.

______. Análise de textos de comunicação. Tradução de Cecília P. de Souza-e-Silva, Décio Rocha. São Paulo: Cortez, 2001.

______. Gênese dos discursos. Tradução Sírio Possenti. São Paulo: Parábola Editorial, 2008a.

______. Ethos, cenografia, incorporação. In: AMOSSY, Ruth. (org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. 1. ed., 1a reimpressão. São Paulo: Contexto, 2008b, p. 69-92.

______. Doze conceitos em análise do discurso. Organização Sírio Possenti, Maria Cecília Perez de Souza-e-Silva; tradução Adail Sobral...[et al.]. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

NOURODINE, Abdallah. A linguagem: dispositivo revelador da complexidade do trabalho. In: SOUZA-E-SILVA, MARIA CECÍLIA PÉREZ; FAÏTA, D. (orgs.). Linguagem e trabalho: construção de objetos de análise no Brasil e na França. São Paulo: Cortez, 2002, p. 17- 30.

SCHWARTZ, Yves. (org.). Disciplina Epistêmica Disciplina Ergológica – Paideia e Politeia. Pro-Posições, Campinas, vol.13, n.1 (37), p.126-149, jan/abr 2002.

______. Trabalho e uso de si. In: SCHWARTZ, Yves.; DURRIVE, LOUIS. (orgs.). Trabalho & ergologia: conversas sobre a atividade humana. 2. ed. Niterói: EdUFF, 2010a, p. 189-226.

______. O homem, o mercado e a cidade. In: Schwartz, Yves.; Durrive, Louis. (orgs.). Trabalho & ergologia: conversas sobre a atividade humana. 2. ed. Niterói: EdUFF, 2010b, p. 247-273.

TRINQUET, Pierre. Trabalho e educação: o método ergológico. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, p. 93-112, ago. 2010.

WISNER, Alain. A Inteligência no trabalho: textos selecionados de ergonomia. Tradução de R.L. Ferreira. São Paulo: Fundacentro, 1994.
Publicado
2017-12-20