A enunciação tonitruante do discurso de militância em “Solo le pido a dios”, de León Gieco

  • Nathan Bastos de Souza UFSCar. Doutorando em Linguística.

Resumo

Neste texto trabalhamos com o contexto de produção/recepção da canção “Solo le pido a Dios”, autoria do cantor argentino León Gieco, e analisamos a materialidade da letra com vistas a estudar o discurso de militância como enunciação tonitruante. Na revisão bibliográfica, justificamos e apresentamos a perspectiva dos estudos culturais como prática de intervenção política, em uma primeira subseção; na seguinte, privilegiamos os estudos de Charaudeau (2006) e Angenot (2015) sobre o discurso militante e cotejamos as categorias desses autores com as questões de alteridade e ato ético, tal como produzidas pelos estudos de Bakhtin (2010a; 2011).   

Biografia do Autor

Nathan Bastos de Souza, UFSCar. Doutorando em Linguística.

Graduado em Letras Português e Espanhol pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Mestre e Doutorando em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). 

Referências

ANGENOT, M. O discurso social e as retóricas da incompreensão: consensos e conflitos na arte de (não) persuadir. Organização Carlos Piovezani. São Carlos: EdUFSCar, 2015.

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. Tradução do russo de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BAKHTIN, M. M. Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução de M. Lahud e Yara Vieira. São Paulo: Ed. Hucitec, 2009.

BAKHTIN, M. M. Para uma filosofia do ato. Tradução aos cuidados de Valdemir Miotello & Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010a.

BAKHTIN, M. M. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução de Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010b.

BAUTISTA, J. J. ¿Qué significa pensar desde América Latina? Introducción a una pregunta. In. BAUTISTA, J.J. ¿Qué significa pensar desde América Latina? Hacia una racionalidad transmoderna y postoccidental. Madrid: Ediciones Akal, 2014, p. 75-89-.

BUBNOVA, T. Do corpo à palavra: leituras bakhtinianas. Tradução, organização, e notas de Nathan Bastos de Souza. São Carlos: Pedro & João Editores, 2016.

CANCLINI, N.G. As culturas populares no capitalismo. Trad. Paulo Coelho. São Paulo: Brasiliense, 1983.

CHARAUDEAU, P. Discurso político. Trad. Dilson Cruz e Fabiana Komesu. São Paulo: Contexto, 2006.

GIECO, L. Solo le pido a Dios. Intérpretes Mercedes Sosa e León Gieco. In. SOSA, M. GIECO, L. NASCIMENTO, M. Corazón americano. Buenos Aires: Philips Records, 1984. Disco sonoro. Faixa 11.

PONZIO, A. Revolução bakhtiniana. Tradução coordenada por V. Miotello. São Paulo: Contexto, 2012.

PUJOL, S. Canciones argentinas (1910-2010). Buenos Aires: Emecé Editores, 2010.

SANTOS, B.S. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. In. SANTOS, B.S. MENESES, M.P. (orgs.) Epistemologias do sul. Coimbra: Edições Almedina, 2009, p.23-73.

SOUZA, N. B. de; MIOTELLO, V. Os percursos éticos do cantar no discurso de denúncia social em três canções de protesto. Diálogo das Letras, Pau dos Ferros, v. 06, n. 02, p. 284-302, jul./dez. 2017.

SZURMUK, M. e IRWIN, R.M. Presentación. In. SZURMUK, M. e IRWIN, R.M. Diccionário de Estudios culturales latinoamericanos. México: Siglo XXI, 2009, p 7-37.

WISNIK, J.M. O minuto e o milênio ou Por favor, professor, uma década de cada vez. In. BAHIANA, A. M.; WISNIK, J.M.; AUTRAN, M. Anos 70 – Música Popular. Rio de Janeiro: Ed. Europa, 1980, p. 7-24.

Publicado
2018-07-24